Por Mares Nunca d’Antes Navegados

15056415_1415436605141114_8013003298417890583_n

No passado dia 19 de Novembro de 2016, a Magnífica fez mais uma deslocação que reforça o espírito aventureiro e destemido que reside no âmago destes tunos.

Repetindo feitos antigos, cumprimos mais uma internacionalização, seguindo, no entanto, o bom velho slogan português do “venha para fora cá dentro”: em vez de morosas viagens de comboio para a vizinha Espanha ou mesmo França, ou burocráticas demandas aéreas em img_20161119_172714busca de Genebra, Luxemburgo ou, quiçá, Londres, decidimo-nos pelo 738 da Carris, e deslocámo-nos até à Casa dos Açores, na nossa querida Lisboa.

Foi nessa embaixada açoriana que, a convite da TUCA – Tuna Universitária Corsários dos Açores (à qual agradecemos, desde já, o convite), e no âmbito da sua II Matiné de Tunas, deleitámos o público com as nossas músicas, para além do pezinho de dança que, a par das estudantes de Erasmus que aceitaram o convite, decidimos proporcionar aquando da actuação da tuna anfitriã.

Para além dos Piratas e da Magnífica, abriu a Matiné a TMIST – Tuna Mista do Instituto Superior Técnico, com uma actuação vibrante e animada. À TMIST e à Venusmonti foi dado ainda um presente, um néctar espirituoso manufacturado como só os corsários da TUCA o sabem.

O convívio dos nossos tunos, não obstante a img_20161119_172738barreira linguística que de outro modo dificultaria a socialização com gente d’além mar, foi bastante facilitado pelo facto de metade dos presentes serem eles próprios insulares. Este elo de ligação, apesar de contribuir para a criação de amizades entre as tunas, não deixou de preocupar a outra metade da Venusmonti, que temeu a deserção desses membros e a sua listagem nas fileiras dos Corsários dos Açores.

No final não desertaram os insulares, mas fugiram uns quantos continentais ainda a noite era uma criança, pois começara o jogo de beer pong, e a infame reputação dos corsários nesse jogo logo determinou a mudança de rumo de volta para a paragem do 738. Ficará para uma próxima, talvez.

Quanto aos que, decidindo não manchar a reputação da Venusmonti, ficaram em representação, sabe-se pouco, mas sem dúvida não terão naufragado nessas perigosas marés açorianas, dada a sua destreza no manuseamento de bolas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *